Rádio Hokori Asian

Recent Blog post

Sempre adorei música e já escrevi muitas resenhas de álbuns e coisas parecidas, mas quando pensei em escrever sobre este assunto para o Novo Nerd eu pensei que talvez fosse melhor trazer a ideia mais próxima ao público alvo. Depois de muito matutar pensei, por que não músicas de anime? Todo mundo gosta de pelo menos um ou dois!
Todos os animes da lista são obras que eu assisti (nem que seja um pouquinho), portanto, se uma música maravilhosa do seu anime favorito que nunca passou no Brasil ficou de fora, provavelmente é porque eu não assisti (ou talvez porque a música não seja assim tão boa).
Outro adendo, coloquei nesta lista tanto músicas originais japonesas quanto versões brasileiras, discrimino pra ficar mais fácil.

10 – Ichirin no Hana – Bleach (3ª Abertura japonesa)
Interprete: Hight and Mighty Color

Bleach é um anime interessante…. Nada, é uma merda mesmo! Comecei a ler o mangá quando lançou no Brasil e achei que a premissa era interessante. Continuei lendo, vi um pouco do anime e a coisa simplesmente não anda! Continuo insistindo por alguma deficiência mental séria que devo ter… Mas de qualquer forma, as músicas de abertura da série costumam ser boas e a melhor delas é a da 3ª temporada (que é uma das melhores do anime… se isso significa alguma coisa), realmente me surpreendi com ela. 



09 – Dare mo Shiranai Chizu – Bucky (Abertura Brasileira)
Interprete: Infelizmente não consegui encontrar quem canta a versão brasileira

Esse anime meio obscuro passou aqui no Brasil no extinto Band Kids. Confesso que gostava bastante, era rápido, tinha uma história interessante (apesar de non sense), mas realmente nunca revi, então não sei quanto disso é devaneio adolescente… Sei que existe um mangá, mas como nunca veio pro Brasil eu nunca nem bati o olho nele. Mas a música de abertura é uma pequena pérola. Aqui estou falando da versão brasileira:



08 – I’m a pioneer – Tenchi Muyo OVA (Abertura americana)
Interprete: Sharyn Scott

Bem, finalmente um anime que gosto muito. Tenchi Muyo passou também no velho Band Kids e era a melhor coisa por lá que não tinha saiyajins! Na verdade passaram no Brasil três séries diferentes com os mesmo personagens, cada uma em uma realidade alternativa. Tenchi in Tokyo era uma bela porcaria, mas Tenchi Universe e o OVA (que passou só uma vez) eram realmente de altíssima qualidade! A dublagem brasileira é excelente, mas o mesmo não pode ser dito da dublagem das músicas, que ficou realmente desafinada (e vale a curiosidade de que ninguém percebeu que trocaram as aberturas de Tenchi in Tokyo e Tenchi Universe). Acontece que a trilha japonesa não é lá essas coisas também, então o que está fazendo aqui? Olha que engraçado, a versão americana de I’m a pioneer é incrível! Sério, música pop de alta qualidade! Então ela é a escolhida:



07 – Change the World – Inuyasha (1ª abertura brasileira)
Interprete: Fernando Janson

Lembro quando começou a passar Inuyasha na Globo. Fiquei absurdamente feliz e viciei como se não houvesse amanhã! Até que a Globo cortou o desenho para passar um segundo episódio de Três Espiãs Demais…. caramba, que triste isso… vamos esquecer e falar das músicas da série. A maioria das aberturas e encerramentos são excelentes, mas nenhuma barra a abertura original, que é muito marcante. A versão original é lindíssima, mas a versão em português ficou tão digna que vale a pena escolhê-la!



06 – Pure Stone – Zilion (abertura japonesa)
Interprete: Risa Yuuki

Zilion foi um anime que fez sucesso aqui antes da febre de Cavaleiros do Zodíaco, uma produção da Tatsunoko (tem um jogo de luta pra Wii, Tatsunoko vs Capcom que é excelente, caso vocês não conheçam, fica a dica), o anime nunca realmente teve um final, o que é uma pena, pois a série é muito boa. Os fãs inclusive esperam ansiosos que esse final venha um dia… receberão Shemmue 3 antes… A abertura é muito marcante, uma das minhas favoritas. A versão é a original, mesmo porque não existe versão brasileira, por aqui a abertura passava apenas com o instrumental da música, vai entender…



05 – We Are – One Piece (1ª abertura japonesa)
Interprete: Hiroshi Kitadani

Tenho uma história com One Piece…. ai ai… Comecei a comprar o mangá quando a finada Conrad publicou, lá em 2000, 2001. Comprei até o último volume lançado em, sei lá, 2007. Depois disso me recusei a baixar scans, havia comprado 70 gibis, não iria agora começar a baixar de graça… Me recusei a ver o anime também, queria ler o mangá. Xinguei muito a Conrad no twitter e – eventualmente – a Panini voltou com a publicação da revista e eu acompanho todo feliz até hoje! E não, nunca li os scans, portanto SEM SPOILERS nos comentários, ok?
Acabei vendo o começo do anime, que é bem inferior ao começo do mangá, mas a música de abertura é sensacional, digna de um dos melhores mangás de todos os tempos!



04 – Tank! – Cowboy Bebop (Abertura)
Interprete: The Seatbelts

Cowboy Bebop é o anime preferido de muita gente, realmente é muito interessante e diferente e tem uma trilha sonora incrível! Destaco aqui a abertura da série, Tank!, um tema instrumental da melhor qualidade, me lembra muito as aberturas das séries de TV nas décadas de 50, 60 e 70.



03 – Zankoku na Tenshi no These – Evangelion (Abertura japonesa)
Interprete: Yoko Takahashi

Eva é uma das obras audiovisuais mais incríveis que já assisti. Vi completa duas vezes e das duas tive que repensar muitas coisas na minha vida (e por isso mesmo não revi mais vezes). Depressão braba mesmo! Mas o assunto aqui é a poderosa música de abertura da série, Cruel Angel Thesis é sensacional, tanto que nunca pulei uma abertura do desenho, via sempre e tentava cantar junto… 



02 – Músicas de Dragon Ball

Ok, confesso que esta posição é uma apelação e zoa a parada toda, mas se eu fosse considerar estas 3 músicas separadamente eu iria poluir a lista toda com Dragon Ball.
A verdade é que todas as músicas de todas as séries de Dragon Ball são sensacionais, todas, até os encerramentos! E nenhum anime desperta tanta nostalgia em tanta gente quanto Dragon Ball! Falemos de cada uma das três.

Dan Dan kokoro Hikareteku – Dragon Ball GT (Abertura japonesa)
Interprete: Field of View

Dragon Ball GT é um lixo fétido. Sério, nada se salva naquela pilha de merda fumegante… Alias, quase nada, a única coisa boa é a música da abertura, Dan dan kokoro é muito, muito bonita. A versão brasileira é honesta, mas longe da energia da original:

Makafushigi Adventure! – Dragon Ball (Abertura brasileira – SBT)
Interprete: Novamente não consegui descobrir quem canta.
A série original de Dragon Ball é um primor, um misto perfeito de humor, aventura e ação que foi copiada e emulada à exaustão, mas que a bem da verdade nunca foi igualada. Ler este mangá é obrigatório pra qualquer verdadeira fã de HQs. A música de abertura da série é razoável no original mas ganhou uma versão espetacular na primeira dublagem da série por aqui, pela Álamo no SBT, e é esta versão que ouviremos! A versão feita para a Globo é uma bela porcaria.

Cha-la Head Cha-la – Dragon Ball Z(1ª Abertura japonesa e brasileira)
Interprete: Hironobu Kageyama / Wendel Bezerra
Por fim temos Dragon Ball Z, provavelmente o anime mais famoso de todos os tempos em todos os lugares e marcou minha adolescência a ferro e fogo! As duas aberturas e os dois encerramentos são incríveis e receberam ótimas adaptações pro português. No entanto escolher uma não foi difícil! Cha-la Head Cha-la é a música que todo mundo pensa quando se fala em anime, é a primeira que vem a mente, é a proto-música de anime e faz jus à primorosa obra do DEUS Akira Toriyama e por isso ouviremos ambas as versões, a japonesa cantada pelo mais famoso cantor de músicas de anime e tokusatsu (lembrem de Changeman), Hinorobu Kageyama e a brasileira cantada pelo dublador do Goku, o talentosíssimo Wendel Bezerra.



01 – Sorriso Contagiante – Yuyu Hakusho (Abertura brasileira)
Interprete: Luis Henrique
O que pode ser melhor que Cha-la Head Cha-la? A trilha de Yuyu Hakusho é! Yuyu é um dos grandes animes de ação já feitos e tem a melhor dublagem já feita de qualquer coisa no universo… Sério, a dublagem da versão da extinta Manchete é qualquer coisa sensacional e a adaptação das músicas também! Toda a trilha foi adaptada e todas as versões são melhores que as originais! Mas novamente, mesmo assim não há dúvidas de qual escolher, Sorriso Contagiante é – sem possibilidade de discussão – a melhor versão de uma música de anime já feita no Brasil e ganha com louvores o nosso primeiro lugar!





Top 10 Músicas de Animes

By : Gahbry Goth
sexta-feira, 12 de agosto de 2016
0

Quando lembramos de nossas infâncias, sempre vem na cabeça alguns desenhos animados que formaram o nosso caráter. 
Desta forma, os animes, animações produzidas no Japão, começaram a chegar ao Brasil com muita força já nos anos 90. E muitos títulos foram importantes para introduzir este mercado para uma geração. Resolvi então fazer um TOP 10 das melhores séries (de TV). Lembrando que não estão inclusos os filmes. Por isso nada de reclamar: cadê “Akira“, “Ghost in the Shell” e os clássicos de Hayao Miyazaki?
É sempre interessante lembrar que EU NÃO SOU especialista no assunto. Apenas gosto do gênero. Eu não vi todos animes da face da Terra, portanto essa é a MINHA LISTA
Por ordem de importância:

10) SHURATO
Shurato estreou na TV Manchete bem depois dos grandes sucessos. Naquela época, o que bombava era Sailor Moon e Samurai Warriors. É engraçado perceber que esse anime teve uma importância absurda, porque eu não lembro tanto da sua história, mas a música não sai da minha cabeça. Eu penso em anime e vem logo de cara essa música. Ainda mais começando com “Oun Shura Sowaka”. Lembro que eu gostava por causa da temática, por ser no mundo Mundo Celestial e ainda assim envolver lutas, magias e armaduras diferentes. Nos anos 90 a gente gostava de tudo que tinha armadura. Boas lembranças!
                                                                          Link




9) DEATH NOTE
Assisti em 2012 e já entrou no TOP 10. A premissa de existir um caderno que permite que seu usuário mate qualquer pessoa somente ao escrever seu nome nas páginas amaldiçoadas chama a atenção logo de cara. Como o anime possui um arco fechado, ele prima pela inteligência. Tinha tudo para se tornar um TOP3, mas os rumos da história a partir de 1/3 da série transformaram em apenas uma boa pedida. Ele é bem diferente dos outros dessa lista, pois prima pelo drama/suspense/thriller sobrenatural.
                                                                         Link




8) FLY, O PEQUENO GUERREIRO
Uma das séries bacanas que o SBT apresentou em suas manhãs. Lembro que na época eu estava apaixonadíssimo pela franquia Final Fantasy e Chrono Trigger, e, mesmo sem saber, percebi todos tinham uma ligação. Yuji Horii é o criador de Dragon Quest, jogo de RPG no qual Fly foi inspirado. A história do pequeno guerreiro chamava atenção pelas batalhas e o poder de superação do personagem e seus amigos. Só vi a série completa na internet, já que o SBT adorava repetir os episódios.
                                                                Link




7) MAJOR
Conheci essa série através do amigo SKY (do Anime Freak Show). Estava querendo voltar a assistir animes depois de um grande hiato e ele me falou sobre Major. Nunca fui muito fã de baseball, mas a história do garotinho apaixonado pelo esporte e que passou por vários dramas pessoais, me levou a querer conhecer essa história. Me emocionei logo nos primeiros episódios. Pronto, fui fisgado! Gorō  não conhece os limites humanos. Ele só se contenta com a vitória e quanto maior o desafio, mais ele se sente motivado.
                                                                        Link




6) POKÉMON
Uma das coisas que eu mais gostava quando assistia Pokémon não eram os monstros de bolso. Eu sempre fui maluco por aventuras. Sou apaixonado pela ideia de sair com amigos descobrindo as coisas pelo mundo. Mesmo tendo todo um lado competitivo (de se tornar o maior mestre Pokémon do mundo), a forma que Ash, Misty e Brock desbravavam florestas, mares e desertos me cativava. Era o real sentido de jornada. A presença da Equipe Rocket como antagonista sempre dava um toque de humor necessário para a história. É fato que Pokémon foi um fenômeno sem precedentes e ele merece todos os créditos. Apesar de puxar para o lado infantil e mesmo na época eu não sendo mais criança, ainda assim curtia acompanha as aventuras.
                                                                          Link




5) SUPER CAMPEÕES
Japonês é apaixonado por futebol. Brasileiro nasceu para jogar futebol. Como não gostar de Super Campeões? Oliver Tsubasa está no nível de Allejo no imaginário da galera dos anos 90. Mesmo mostrando a história de jovem japonês, poderia muito bem ser a história de muitos brasileiros. A identificação era clara, ainda mais quando o desejo do menino era vir para o Brasil e a jogar com os melhores jogadores do mundo. Era fantástico acompanhar a história da criança jogando em uma escolinha até a seleção nacional. Aliados, rivais, dramas, machucados, reviravoltas, amizade. Tem tudo isso! Acredito que a coisa legal era acompanhar as jogadas com cara de magias de videogame. Isso dava um charme único! Saudades!
                                                                             Link




4) DRAGON BALL (CLÁSSICO E Z)
Ele veio na aba do sucesso de Os Cavaleiros do Zodíaco, mas sendo exibido no SBT. Conhecemos o Goku pequeno e toda sua trupe. Extremamente divertido, um personagem principal nosense e vários coadjuvantes desajustados. Na época, não chegava a se comparar com Cavaleiros, já que apelava mais para o lado infantil. Porém, com o lançamento de Dragon Ball Z, com todos os personagens já adultos, a coisa mudou de figura. As batalhas épicas são até hoje comentadas. As sagas são muitos conhecidas: Saiyajin, Freeza, Cell e Boo. Era interessante a falta de limite. Quando aparecia o inimigo mais forte do universo, a gente já sabia que após ser derrotado sempre aparecia um outro mais forte. Temos que respeitar alguém que morreu e ressuscitou várias vezes para nos salvar. Obrigado, Goku. Nº 18 é a minha personagem favorita. E o seu?
                                                                                Link




3) OS CAVALEIROS DO ZODÍACO
Foi ele quem começou tudo isso. Quando estreou na Manchete, virou um fenômeno logo de cara. Assistir jovens usando armaduras mitológicas, soltando golpes e mostrando lutas sanguinárias, era algo transgressor. Isso tudo era novidade. Parecia que a gente estava desobedecendo os nossos pais, pois assistir um desenho violento não fazia parte da nossa vida infantil. Era fácil decorar as músicas, os nomes dos golpes e falar sobre os personagens favoritos. Até acompanhar por umas 3 temporadas a frustração da repetição de toda a série quando chegava na casa de Leão. Eu olho para Os Cavaleiros do Zodíaco e lembro de: Manchete, revista Herói e álbum de figurinhas.
                                                                         Link




2) YU YU HAKUSHO
Por muito tempo este era o meu anime favorito de TODOS OS TEMPOS. Vários motivos justificavam esse título: melhor história, melhor dublagem, melhor desenho, melhores personagens, melhores lutas. Ao mesmo tempo que ele era tenso/dramático em vários momentos, em outros era o desenho mais engraçado da história. A dublagem é consagrada como a melhor já feita aqui no Brasil. Olha isso abaixo:
                                                                         Link

Fala aí, não é fantástico? Só de escutar essas vozes, bate uma sensação de nostalgia que poucas coisas conseguem atingir. E quando eu escuto essa música abaixo, o meu coração se enche de alegria…
                                                                         Link




1) ONE PIECE
 Ouvia muita gente falando do barulho que estava causando no Japão. Mangá mais vendido e anime mais visto! Isso só acontece no Japão quando a parada é boa. Até que novamente o SKY (do Anime Freak Show) me apresenta essa obra de arte. A princípio, pode parecer mais um anime. A medida que as histórias dos piratas vão se cruzando, você passa a entender este fenômeno. Estamos falando dos mares e o mundo dos piratas. O protagonista é Luffy, um jovem que quer ser o Rei dos Piratas. Ele não tem cara de capitão, já que nunca leva nada a sério, mas é extremamente motivado pelos desafios. No início ele começa a juntar sua tripulação, reunindo Zoro, Nami, Usopp e Sanji. Quando você conhece a história de cada um, é impossível não se emocionar. One Piece é isso! Uma mescla de humor, histórias fantásticas e batalhas épicas. As sagas são brilhantes. A minha favorita é Baroque Works. Essa imagem abaixo representa o máximo da amizade:
  
É muito difícil falar uma batalha ou um personagem favorito. Existem tantos momentos épicos.
A fidelidade dos personagens para com os objetivos de seu capitão, prova que é possível construir um arco narrativo que faça com que o público se importe. E a gente não vai sossegar até que Luffy se torne o Rei dos Piratas.
                                                                              Link


Melhores séries já produzidos

By : Gahbry Goth
sexta-feira, 5 de agosto de 2016
0
Yu Yu Hakusho é um famoso desenho animado japonês que foi exibido no Brasil durante os anos 90 e fez enorme sucesso por aqui. O seriado gerou inúmeros jogos ao longo dos anos, geralmente de luta, entre alguns deles com grande qualidade. Conheça ou relembro os principais títulos, disponíveis no Mega Drive, Super Nintendo, PS2, entre outros:

Yu Yu Hakusho Gaiden MD (Mega Drive)
Yu Yu Hakusho Gaiden MD, assim como muitos jogos desta lista, foi lançado apenas no Japão e é uma mescla de RPG com aventura, usando o enredo do anime original. A história começa com o protagonista Yusuke Urameshi morrendo e se tornando um Detetive Espiritual para voltar à vida.
                               Yu Yu Hakusho fez sucesso com seu primeiro jogo no Mega (Foto: Reprodução/Sega Archives)
O game tinha batalhas em turno com os personagens participantes. Quase não havia exploração de cenários e somente diálogos e cenas bem animadas para sua época. Usando o poder do Mega Drive, o game era bem colorido e produzido visualmente.




Yu Yu Hakusho: Makyō Tōitsusen (Mega Drive)
Yu Yu Hakusho: Makyō Tōitsusen foi um jogo de luta lançado nos anos 90 para o Mega Drive. O game também tinha bons gráficos e um enorme elenco de personagens, englobando ainda a fase do Torneio das Trevas, contando com quase todos os times participantes.
                              Yu Yu Hakusho também teve versão nacional no Mega (Foto: Reprodução/Sega Archives)
O mais curioso é que esse jogo foi lançado oficialmente no Brasil, pela Tec Toy, com direito a textos totalmente traduzidos para o português – em uma época onde isso era bem raro para games de consoles. Fez algum sucesso por aqui, e ficou entre o queridinho dos fãs por muito tempo.




Yu Yu Hakusho: Tokubetsu Hen (Super Nintendo)
Considerado por muitos como o melhor jogo da saga Yu Yu Hakusho, o game Yu Yu Hakusho: Tokubetsu Hen, exclusivo do Super Nintendo, tem como foco lutas um contra um, mas é bem diferente dos jogos de luta tradicionais 2D. O título tinha gráficos bem superiores a qualquer outro da série.
                            Yu Yu Hakusho: Tokubetsu Hen é considerado o melhor da série (Foto: Reprodução/SNES Mega)
Em vez de realizar comandos tradicionais e movimentar os personagens livremente pelo cenário, em Yu Yu Hakusho: Tokubetsu Hen o jogador precisava ativar comandos no teclado, respeitando uma barra de carregamento. Também contava com um grande elenco de personagens, mas saiu apenas no Japão – o que não impedia as jogatinas dos fãs ocidentais por meio de importação de cartuchos.




Yu Yu Hakusho Final: Makai Saikyō Retsuden 
(Super Nintendo)
Apesar de não ser tão bom quanto Tokubetsu Hen, Yu Yu Hakusho Final: Makai Saikyō Retsuden também foi bem elogiado em sua época. Aqui o game lembrava um pouco o Makyo, que saiu no Mega Drive, com lutas tradicionais em 2D.
                        Super Nintendo teve mais de um Yu Yu Hakusho (Foto: Reprodução/SNES Mega)
O game, porém, era um pouco superior ao lançado no Mega, principalmente pela animação de maior qualidade e também a parte sonora. Esse ia até a “Fase Sensui” do desenho animado e apresentava elenco maior de lutadores.




Yu Yu Hakusho: Tournament Tactics (GBA)
Yu Yu Hakusho: Tournament Tactics foi lançado muito tempo depois dos últimos jogos de Yu Yu Hakusho na geração de 16 bits. Este é um game de estratégia do GBA, similar a Final Fantasy Tactics e outros parecidos.
                           Yu Yu Hausho teve jogo no estilo Final Fantasy Tactics no GBA (Foto: Reprodução/Nintendo Everything)
Sua história também seguia de perto o enredo do anime original, com equipes de personagens selecionáveis envolvendo toda a primeira parte, até o final da Torneio das Trevas, durante a luta contra o Time Toguro. Os gráficos eram no estilo “SD”, Super Deformed, ou seja, bonecos pequenos e com cabeças grandes.



Yu Yu Hakusho Forever (PS2)
Yu Yu Hakusho teve dois jogos lançados no PS2. O primeiro, Dark Tournament, não agradou tanto aos fãs por conta de seus problemas na jogabilidade. Felizmente, Yu Yu Hakusho Forever veio pouco tempo depois e salvou a história da série no console da Sony.
                       Após fracasso, Yu Yu Hakusho teve novo game no PS2 (Foto: Reprodução/PS2 Hype)
Com gráficos melhorados, já no estilo cel shading, e com um bom número de personagens selecionáveis, o jogo de luta em 3D era divertido por conta do seu esquema de realizar golpes dos personagens e por ser um game muito rápido, onde as lutas eram frenéticas como no desenho.



J-Stars Victory VS (PS3/PS4/PS Vita)
J-Stars  Victory Vs não é exatamente um jogo da série Yu Yu Hakusho, mas conta com a presença de personagens da saga, como Yusuke Urameshi, Toguro mais novo e Hiei. Ele mistura ação e aventura, e nos traz a participação de heróis de outros animes.
                              Personagens de Yu Yu Hakusho em J-Stars (Foto: Divulgação/Bandai Namco)
Há até mesmo capítulos destinados a homenagear Yu Yu Hakusho, além de cenários que foram retirados do anime, como o grande estádio da final do Torneio das Trevas.







Melhores Games do Clássico Anime Yu Yu Hakusho

By : Gahbry Goth
sexta-feira, 22 de julho de 2016
0

- Copyright © 2015 Rádio Hokori Asian - Powered by Hokori Asian - Designed by Hioko -